montanhas da Serra do Mar. O centro histórico conta com vários sobrados coloniais, pertinho das ruínas do antigo porto, parte do que restou do auge da época em que passava a erva-mate que vinha do interior do Estado.

(Por Kalrhen Braga)

Um passeio pela cidade histórica litorânea do Paraná!

A pequena cidade fica num cenário rústico, de frente para a bela baía de Antonina, e é cercada pelas montanhas da Serra do Mar. O centro histórico conta com vários sobrados coloniais, pertinho das ruínas do antigo porto, parte do que restou do auge da época em que passava a erva-mate que vinha do interior do Estado.

Crédito das fotos: Galeria da Prefeitura de Antonina

Entre a parte cultural e gastronômica, ainda tem outras atrações nos arredores, pra lazer e muita diversão, pra quem é fã ou pratica rafting, tem o Rio Cachoeira, dentro do Parque Estadual Roberto Ribas Lage.

Trilhas e caminhadas você pode fazer na Estrada do Bairro Alto e ainda tem cachoeiras pra um banho relaxante e refrescante.

Mas se você gosta mesmo é de montanhismo, tem também o Pico do Paraná, com 1.962 m de altitude, que é a montanha mais alta da região Sul do Brasil, é uma formação rochosa de granito e gnaisse, entre o município de Antonina e Campina Grande do Sul, no conjunto de serras chamado Ibitiraquire, que na língua tupi significa “serra verde”.

Outra beleza da cidade é a Estrada da Graciosa, com suas curvas sinuosas e uma paisagem deslumbrante é parte de um grande acervo de belezas naturais, bem preservada área de Mata Atlântica. E ainda conta com vários mirantes e quiosques e estabelecimentos para lanches e refeições rápidas e descanso.

Pela cidade você ainda vai ver as construções antigas, mais agrupadas ou isoladas, e algumas bem conservadas, e outras em ruínas. O conjunto mais bonito e famoso fica pertinho da Praça Coronel Macedo, onde também tem a Igreja Nossa Senhora do Pilar. E essa Praça, é a central da cidade, que tem monumentos em seu entorno, um coreto e um chafariz, típicos de cidades pequenas, e ainda tem o charme de árvores raras.

Na baía de Antonina tem um pier pra passeios de barcos, que levam para algumas ilhas e praias da região. Entre as praias, as mais conhecidas são: A Prainha, com águas claras e rasas e a Ponta da Pita, formação rochosa que avança dentro da baía em um local de lazer no bairro Itapema.

Ainda tem a Estação Ferroviária de Antonina que é uma bela construção da fase áurea do mate, foi construída em 1916, estilo eclético, com detalhes requintados, mas apesar da beleza, a construção está atualmente abandonada.

Pensou em ficar lá mais de um dia? Todas essas opções você pode fazer em um dia, mas se você quiser passar o final de semana, curtir um feriado diferente, o Vale do Gigante é um empreendimento situado aos pés do Pico do Paraná, região de vários rios que  deságuam na Baía de Paranaguá. Lá você vai poder contar com hospedagem, opções gastronômicas, vc pode comer desde o famoso Barreado até o peixinho fresco, e ecoturismo, como rafting, boia cross, canoagem, trekking, entre outros.
Visite também o Teatro Municipal que tem uma arquitetura com ricos detalhes e adornos.
Antonina respira arte, história é cultura, é como uma viagem no tempo em pleno século XXI.
Vamos viajar no tempo e se deliciar com essa cidade que é um dos tesouros do litoral parananaense!

Crédito das fotos: Galeria da Prefeitura de Antonina

Venha pra Antonina de ônibus!


Siga a Fepasc: linktr.ee/fepasc

Categories:

Siga a Fepasc em todas as redes sociais.